Lift das Mamas em Miami

As mamas de uma mulher ajudam a definir sua feminilidade, e como há muitas formas, tamanhos e aspectos diferentes, também ajudam a determinar sua personalidade. Por essa razão, as mudanças que elas sofrem podem ser desagradáveis e fazer com que as mulheres se sintam menos femininas e achem que perderam a vitalidade da juventude. Assim como outras partes do corpo, as mamas sofrem alterações decorrentes da genética, envelhecimento, gravidez e amamentação, ganho ou perda de peso e mudanças hormonais. Mamas firmes e simétricas geralmente começam a cair, ficando com um aspecto pesado ou flácido. Uma mamoplastia de aumento, ou mastopexia, pode ajudar a mama a ficar firme novamente, que definirá as curvas do corpo e dará aos seios uma aparência jovial.

Vídeo Lift dos Seios em Miami

Anatomia da mama

Antes de saber como uma mamoplastia de aumento pode ajudar a corrigir mamas flácidas, é importante que você entenda sua anatomia. As mamas são formadas por diferentes tipos de tecido conhecidos como glandular, gorduroso e fibroso, que se estendem sobre o músculo peitoral ao longo da parede torácica. Os tecidos glandulares são constituídos de lóbulos e ductos. Durante a lactação, os lóbulos e os ductos mamários são responsáveis pela produção e transporte do leite ao mamilo, respectivamente. As glândulas da mama são cercadas por uma camada de tecido gorduroso que dá a ela sua forma e leveza. Os ligamentos suspensórios, que são feitos de fibras, ou o tecido conjuntivo, são entrelaçados entre as glândulas mamárias e os ductos. Esses ligamentos unem a mama à parede torácica e permitem que ela permaneça suspensa, mas se mova livremente com o corpo.

-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Quais as causas para as mamas mudarem de forma?

Embora existam muitos fatores que possam contribuir para a flacidez das mamas, o processo de envelhecimento e os efeitos da gravidade exercem um papel importante nessas alterações. Assim como acontece com a pele do rosto, a pele ao redor da mama perde a elasticidade devido a uma ruptura gradativa da rede de sustentação da pele, que faz com que ela se torne flácida. Além disso, os ligamentos suspensórios que unem a mama à parede torácica enfraquecem e esticam por conta da gravidade. As mamas aumentam durante a gestação e a amamentação, o que faz a pele esticar ainda mais. À medida que as mamas diminuem de tamanho após a gravidez, a pele que estava esticada agora está flácida. Por fim, as mudanças de peso e até as alterações hormonais podem modificar o aspecto das mamas. Esses fatores, associados, podem fazer a mama cair ou, em alguns casos, inclinar para baixo.

Quais as causas para as mamas mudarem de forma?-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Ptose mamária e técnica cirúrgica

Durante o procedimento de mamoplastia de aumento, o excesso de pele é retirado, e a pele restante, esticada. Consequentemente, a forma das mamas melhora e elas são reposicionadas. O médico avaliará o grau da ptose, ou queda das mamas, para determinar o procedimento mais adequado. Normalmente, existem três graus de ptose, classificados como leve, moderado e acentuado, que são determinados pela posição da aréola em relação à prega inframamária e ao esterno. Em geral, há ptose leve se a aréola estiver na prega inframamária. Se a aréola estiver aproximadamente um ou dois centímetros abaixo da prega inframamária, as mamas apresentam ptose moderada; nos casos de ptose mamária acentuada, a aréola pode estar dois ou três centímetros abaixo da prega inframamária e inclinar para baixo. Existem quatro técnicas básicas de mamoplastia de aumento, conhecidas como periareolar, circumareolar, vertical e em âncora, usadas para corrigir graus cada vez maiores de ptose, respectivamente.

Ptose mamária e técnica cirúrgica-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Técnica periareolar

A técnica periareolar, ou em crescente, envolve uma incisão em meia lua no topo da aréola. Essa técnica é o procedimento menos invasivo que chega a um pequeno grau de elevação. Por esse motivo, é indicada para pessoas com mamas pequenas ou que apresentam ptose mamária leve.

Técnica periareolar-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Sub Técnica circumareolar

A circumareolar, ou em rosca (doughnut), é uma técnica que envolve uma incisão circular em torno da aréola. Essa técnica é o procedimento menos invasivo que chega a um pequeno grau de elevação. Por esse motivo, é indicada para pessoas com mamas pequenas ou que apresentam ptose mamária leve.

Sub Técnica circumareolar-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Técnica vertical

A técnica vertical envolve uma incisão em forma de V que se estende no contorno superior da aréola e abaixo da linha média da mama. Embora seja levemente mais invasivo, este procedimento chega a um alto grau de elevação. Por esse motivo, esse tipo de incisão é indicado para pessoas com mamas grandes e que apresentam ptose mamária moderada ou acentuada.

Técnica vertical-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Técnica em âncora

A técnica em âncora envolve uma incisão em forma de âncora que se estende no contorno superior da aréola e lateralmente na porção inferior da mama. Embora seja o tipo mais invasivo de mamoplastia de aumento, essa técnica chega a um maior grau de elevação. Por esse motivo, é indicada para pessoas com mamas grandes e que apresentam ptose mamária acentuada. Essa animação descreve a técnica em âncora, que é uma das mais comuns realizadas atualmente.

Técnica em âncora-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Preparo cirúrgico

A duração de um procedimento de mamoplastia de aumento pode variar de uma a quatro horas, dependendo de sua complexidade e se um procedimento adicional, como a colocação de próteses, será realizado ao mesmo tempo. Antes do início do procedimento, a área a ser tratada é limpa, e um anestésico será administrado. O médico provavelmente aplicará uma anestesia geral onde você dormirá durante o procedimento. Além disso, serão desenhadas as linhas da incisão para indicar as áreas da pele que serão removidas.

Preparo cirúrgico-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Incisão em âncora

Com o auxílio de um bisturi, o médico faz cuidadosamente uma incisão ao longo das linhas pré-marcadas. A incisão estende-se além do perímetro superior da aréola. Essa área indica seu novo perímetro superior. A região abaixo dela será unida e esticada, deixando a mama mais ereta.

Incisão em âncora-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Remoção da pele

Usando vários instrumentos cirúrgicos, o médico levanta a pele e a separa dos tecidos abaixo. A aréola e o mamilo permanecem intactos, enquanto as áreas da pele adjacente são removidas. Para assegurar que a mama tenha total mobilidade, o médico pode usar um cauterizador para destruir, ou remover, o tecido ao longo do perímetro da linha da incisão.

Remoção da pele-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Reposicionamento da aréola

Após a remoção do excesso de pele, o perímetro superior da aréola é costurado até o perímetro externo da incisão. Com isso, o tecido da aréola e da mama é reposicionado.

 8 3/4-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

Fechamento da Incisão

A incisão é fechada colocando-se suturas ao longo da linha média vertical e da prega inframamária, assim como ao redor do perímetro da aréola. Alguns médicos também podem preferir colocar suturas externas ao longo da incisão. Antes de fechá-la totalmente, o cirurgião pode colocar um dreno cirúrgico em cada mama, embora alguns profissionais prefiram não usá-lo. Finalmente, podem ser colocadas suturas Steri-strip ou ataduras de gaze para proteger os locais da incisão durante a cicatrização.

Fechamento da Incisão-Dr. Décio Carvalho Cirurgião Plástico brasileiro em Miami

DR. DÉCIO CARVALHO RESPONDE

Dr. Décio Carvalho terá prazer em responder sua pergunta, preencha o formulário abaixo e clique em confirmar.